Revisão Preventiva

Cuide bem do seu veículo, fazendo revisões periódicas numa oficina de sua confiança. Fazendo assim, o seu carro nunca vai te deixar na mão, impedindo que você atenda a seus compromissos e, principalmente, garantindo a sua segurança e de sua família.

O para e anda do nosso trânsito, nessa velocidade média que não vai além de  25 km, expõe o seu veículo a condições severas.  As revisões são a melhor maneira de manter o veículo seguro e em boas condições de uso. O manual do fabricante do veículo dá dicas e recomendações a serem seguidas. E não importa a idade do seu veículo!  Mas, como é você quem conhece as condições em que seu veículo é exposto, fique atento a qualquer sinal diferente e leve seu veículo na sua  oficina de sua confiança. O seu mecânico vai saber lhe ajudar!

Itens importantes para checar em seu veículo, conforme norma ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) – NBR 14624

Sistema de freios

  • Fluido para freio 
    Indicação: troca anual
  • Discos de freio
    Indicação: verificar a cada 5 mil Km
  • Pastilhas de freio 
    Indicação: verificar a cada 5 mil Km
  • Tambor de freio
    Indicação: verificar a cada 5 mil Km
  • Freio a tambor 
    Indicação: verificar a cada 5 mil Km.
  • Atuação (servo-freio, cilindro-mestre e válvulas)
    Indicação: verificar a cada 30 mil Km

Suspensão é responsável pela estabilidade do veículo

  • Amortecedores
    Quando estão gastos deixam de exercer a sua função e ficam sem ação, o que leva ao desgaste prematuro dos componentes da suspensão.
  • Molas
    Quando estão gastas ficam sem ação e provocam o desgaste prematuro dos componentes da suspensão
  • Bandejas e braços
    Danificadas e buchas gastas
  • Pivôs e buchas
    Folga ou gastos
  • Barra estabilizadora e bieletas
    Folga ou gastos

Filtro de ar

  • Fazer teste visual regularmente e se estiver escuro, substitua o componente por outro da mesma qualidade e especificações sugeridas pelo fabricante.

Palhetas do pára-brisa

  • Substituir o componente por outro de qualidade quando a borracha der sinais de ressecamento. O ideal é trocar a peça a cada doze meses.
  • Para promover a limpeza do pára-brisa e eliminar as impurezas ali acumuladas, o ideal é usar uma solução de água com um pouco de álcool e aplicá-la com um pano limpo no vidro.

Bateria

  • Dê partidas curtas entre 5 e 7 segundos para testar a carga da bateria.
  • Sempre que ligar o veículo procure mantê-lo em funcionamento por pelo menos 20 minutos para que nesse período a carga da bateria perdida durante a partida, seja totalmente recomposta.
  • Não deixe luzes, rádio ou qualquer equipamento ligado quando o veículo não estiver em funcionamento.
  • Uma bateria descarregada pode ser identificada por dificuldade de partida, luzes fracas, problemas causados por regulador de voltagem desregulado, correia frouxa ou fio de terra solto.
  • Lembre-se que a constatação de defeito só é possível por meio de equipamentos que testam todos os elementos da bateria.
  • Não aceite que testem sua bateria com cabos, fechando o curto-circuito entre os pólos. Este procedimento, além de ser enganoso, pode prejudicar a bateria, fazendo-a ferver, o que não caracteriza defeito.
  • Se desejar instalar qualquer opcional elétrico não original, verifique antes se poderá haver um comprometimento do sistema elétrico. Após essa verificação, assegure-se que a bateria atual é compatível com a nova demanda elétrica. As duas verificações podem ser feitas numa rede autorizada e no seu auto-elétrico de confiança.
  • Evite o uso prolongado de equipamentos eletrônicos como rádio e DVD com o veículo desligado. O consumo excessivo poderá descarregar a bateria.
  • Faça revisões periódicas do sistema elétrico do veículo (alternador, motor de partida, regulador de tensão, cabos e terminais) em uma oficina de sua confiança. O mal funcionamento de algum destes itens compromete a vida útil da bateria automotiva, podendo gerar sobrecarga, fuga de corrente, e outros fatores que prejudicam diretamente a bateria.
  • Evite ligar e desligar o veículo muitas vezes durante o dia sem intervalos suficientes (20 minutos pelo menos) para a recomposição da carga da bateria. Isso é muito comum em táxis.

Faróis

  • A troca deve feita, sempre aos pares, a cada 50 mil km garantindo, assim, que os faróis direito e esquerdo estejam iluminando de forma uniforme. As lâmpadas podem perder a força antes mesmo desse período, por isso é importante ficar de olho nelas. Se estiverem escuras, é sinal que estão com baixa luminosidade.
  • Quando os faróis estão regulados, os fachos de luz têm uma inclinação de 15 graus para o lado direito, permitindo que o motorista enxergue placas de sinalização à distância e também para evitar a perda da visibilidade momentânea de que quem trafega no sentido contrário.

Pneus

  • Calibrar os pneus regularmente de acordo com especificações do fabricante, respeitando as condições de uso. Assim, você prolonga  a vida útil dos pneus.
  • Pneus em bom estado garantem a segurança do veículo, a dirigibilidade e o desempenho do veículo.
  • Os pneus possuem indicadores de desgaste que são visíveis, nunca deixe ultrapassar o limite permitido (1,6 mm), após análise do seu estado geral. Ao fazer a substituição dos pneus, opte por modelos que possuem a mesma medida ou medida opcional recomendada pelo fabricante.
  • O rodízio deve ser feito a intervalos de 5.000km ou antes se você perceber um desgaste irregular nos pneus.

Alinhamento

  • A cada 5.000 km
  • A cada troca de pneus quando os pneus estiverem apresentando desgaste excessivo na área do ombro
  • Desgaste da banda de rodagem do pneu em forma de “escama”
  • Trepidação das rodas dianteiras
  • Vibração do carro
  • Volante duro
  • O carro tende para os lados quando o motorista larga o volante
  • O carro desvia e puxa para o lado quando os freios são acionados

Balanceamento

  • A cada 5.000 km
  • A cada troca de pneus
  • Toda a vez que fizer o rodízio de pneus
  • Ao primeiro sinal de vibração ou desgaste irregular da banda de rodagem
  • Após ter efetuado o reparo no pneu ou na câmara de ar